Agora você pode se inscrever por RSS

Cadastre seu e-mail

19 de novembro de 2012

Cinquenta tons de cinza ...e nada de pensar na Vermelhinha

Livan Pereira

50-tons-de-cinza-mulheresFeriado ... não existe nada melhor. Alias até existe: feriado + dinheiro pra gastar.

Infelizmente tenho que me contentar só com a parte do feriado, já que, graças a mais uma lambança perdi uma quantia muito significativa esse semana (de certo esse dinheiro deve ter ido para um universo paralelo, junto com as tampas das canetas e os isqueiros dos fumantes).

Após ter ficado sem o companheirão de todas as horas – o $, tive que escolher outra ocupação que não envolvesse dinheiro. Optei pelos livros, e nenhum envolvia o Direito. Ah! Não consegui. Meu humor numa escala de 1 a 5, estava -8, como estudar assim? Desculpa esfarrapada a gente vê aqui

Ao invés de estudar, me ocupei esses dias com “Cinquenta tons de cinza e cinquenta tons mais escuros” e não posso ser condenada! Esses livros estão no foco de diversas discussões, tanto nas redes sociais, quanto nas rodas de amigos, no trabalho, na faculdade, etc...

Ler parte da trilogia era muito necessário e imprescindível a satisfação da minha curiosidade. Precisava saber quem era esse tal de Sr. Grey que estava mexendo tanto com o imaginário do mulheril. Precisava saber quem era essa jovem Ana que personifica a mulher que muitas querem ser. Conheci, pensei, imaginei e gostei do livro. É um romance apimentado, mas é só isso, mais uma história de romance, nada de pornografia literária como certos puritanos pregaram por aí.

Muito embora eu não tenha estudado, passar o feriado prolongado lendo é um favor que me faço . Ler hidrata o meu português, por vezes tão desidratado. Ler acrescenta novas palavras e faz memorizar a ortografia de outras. Sempre é bom ler. Pena que estudar não seja tão bom assim, muito menos prazeroso ou envolvente quanto esse 50 tons de alguma coisa.

Para me sentir menos culpada preciso pensar da seguinte forma: Não estudei Direito, mas, estudei gramática/ortografia de uma maneira mais lúdica, envolvida por chicotes, algemas, açoites e afins ... semana que vem eu corro atrás do prejuízo.

Assinatura Mari

1 comentários:

  1. Mari, ja que se dedicou ao português, fica uma dica que aprendi com meu pai há uns anos: não corra atras do prejuizo e sim do sucesso. O prejuizo a gente para la. Bem longe. ;) Otimo texto, mas sobre a "polemica" soube que a escritora dos cinzas nao escreve tao bem. Foi bom ter lido uma critica boa a ela. Beijos e bom fds. PS: DUENDES, tragam o seu dinheiro de volta!

    ResponderExcluir

Coprights @ 2017, Blogger Templates Designed By Templateism | Templatelib