Agora você pode se inscrever por RSS

Cadastre seu e-mail

27 de fevereiro de 2018

Luiza, a garota que fumou uma nota de 50 depois de ser pega dirigindo embriagada, vira delegada de polícia

NED Não Entendo Direito

O governo do Estado do Pará acaba de divulgar a homologação do resultado final do Concurso Público para o cargo de Delegado de Polícia Civil. O Diário Oficial do Estado paraense publica nesta terça-feira (27/02) a relação dos 141 nomes aprovados e que tiveram homologação concretizada.

Um dos nomes homologados é o da Bacharel em Direito e ex cage girls (garotas da plaquinha) de evento de MMA Luíza Gomes. Capixaba, Luíza Gomes tornou-se conhecida em 17 de agosto de 2012, quando tinha 19 anos, e protagonizou cenas patéticas. Ela foi flagrada pela Polícia Militar dirigindo sem carteira de habilitação e embriagada.

luiza
O carro de Luíza colidiu contra as muretas da Terceira Ponte, que liga Vitória a Vila Velha. Durante a abordagem policial e, sob efeito de álcool, ela, que à época era estudante de Direito, tentou fumar uma nota de R$ 50,00 confundindo com um cigarro, e tentou ligar o carro usando um canudo, acreditando usar a chave do veículo.
Na ocasião, a ainda estudante Luíza Gomes disse, segundo as câmeras da TV Gazeta:  "Essa questão de beber e dirigir, qual a eficácia da lei? Não existe eficácia. A partir do momento que a gente vê que tem alguma brecha, a gente se aproveita daquilo. Nós, estudantes de Direito, tentamos nos aproveitar disso", disse.
Inicialmente, Luíza Gomes foi proibida pela Justiça do Espírito Santo de tirar uma nova habilitação. Porém, em janeiro de 2014, a juíza Rachel Durão Correia Lima, então titular do 2º Juizado Especial Criminal de Vitória, encerrou a transação penal referente à estudante, que respondia a uma ação no Juizado da Capital sob acusação de ter praticado supostos crimes previstos nos artigos 309 e 310 do Código de Trânsito Brasileiro.
Luíza havia sido indiciada por dirigir sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Vale destacar que ela nunca teve o documento. Com o fim desse processo, já que ela cumpriu toda a pena acordada em audiência, a juíza, com total anuência do Ministério Público Estadual, revogou a medida cautelar, que proibia Luíza de fazer exames para tirar carteira de motorista.
Luíza Gomes, por ser ré primária na época e sem antecedentes criminais, pôde fazer uma transação penal com a Justiça. Essa transação penal foi proposta pelo Ministério Público, conforme estabelece o artigo 76 da Lei 9.099/95, e, nesse acordo, selado em audiência, ficou definido que a então estudante de Direito cumpriria pena restritiva de direitos em prestação de serviços à comunidade, pelo prazo de quatro meses, durante 6 horas semanais, no Hospital da Polícia Militar, em Bento Ferreira, em Vitória.

Em setembro de 2015, Luíza Gomes concedeu entrevista ao G1. Na ocasião, ainda fazia o curso de Direito e dividia os estudos com o fisiculturismo e o estágio no Ministério Público Federal do Estado. Sobre o episódio em que foi flagrada ao dirigir alcoolizada, a jovem, segundo o G1, queria deixar para trás o ocorrido.
"Claro que uma pessoa ou outra lembra, e isso eu vou ter que enfrentar por muito tempo, talvez até para o resto da minha vida, mas o que importa é a gente aprender com os nossos erros e seguir em frente, não pode, por conta de um episódio que aconteceu, ficar naquilo pra sempre", afirmou Luíza Gomes ao G1 em 2015.
Além do nome de Luíza Gomes, o Diário Oficial do Pará publica todos os 141 nomes de candidatos que tiveram seus nomes homologados para o cargo de Delegado de Polícia Civil. Já receberam, inclusive, os distintivos de delegados. A capixaba Luíza ocupa a 37ª colocação no concurso.
À sociedade do Estado do Pará, resta torcer para que a agora doutora Luíza Gomes reflita sobre a frase –"Essa questão de beber e dirigir, qual a eficácia da lei? Não existe eficácia. A partir do momento que a gente vê que tem alguma brecha, a gente se aproveita daquilo. Nós, estudantes de Direito, tentamos nos aproveitar disso" – e dê um “chega-pra-lá” no primeiro sujeito que chegar ao seu Distrito Policial e tente encontrar uma desculpa para burlar a lei, como ela tentou naquele final de madrugada de  17 de agosto de 2012, em que humilhou e tripudiou sobre as autoridades policiais do Espírito Santo.
O importante é que essa jovem capixaba está provando que tudo no mundo tem limites e que sempre é possível conseguir dar a volta por cima. Que Luíza Gomes seja um orgulho capixaba, agora como delegada de Polícia Civil no Estado do Pará.

Fonte: Blog do Elimar Cortes

0 comentários:

Postar um comentário

Coprights @ 2017, Blogger Templates Designed By Templateism | Templatelib